RB Informa

OPCE discute mercado de trabalho e campos de atuação

A Orientação Profissional Caminhos e Escolhas (OPCE) busca orientar os alunos de Ensino Médio sobre aspectos abrangentes que se referem a escolha de uma profissão. No encontro do dia 09 de março, o tema foi “Mercado de trabalho e campos de atuação”, explicando a diferença entre profissão, ocupação e carreira.

A orientadora educacional do 9º ano e Ensino Médio, Juliana Caetano, foi quem esclareceu as dúvidas dos estudantes sobre esse assunto em uma palestra descontraída e muito informativa, utilizando diversos estudos de casos e vídeos reflexivos para ilustrar o conteúdo. “Dentro de uma carreira ou profissão há vários segmentos de atuação. Posso me especializar em diversas áreas para aprimorar meus conhecimentos, e cada ocupação agregada à profissão tem um valor diferenciado para esse profissional no mercado”, comenta Juliana.

Esse tópico é bastante especial para a orientadora, pois segundo ela, encontrar a profissão ideal não é tão simples como se pensa, e a dúvida pode se prolongar por mais tempo que o imaginado. “Há pessoas que vivem uma busca incessante da profissão ideal por toda a vida. Parece estranho falar assim, mas eles conhecerão pessoas que, com o passar do tempo, vão falar que têm dificuldades em encontrar a profissão certa e migram de área, ocupação e trabalho o tempo todo. Essa angústia, quando não esclarecida, corrobora com algumas frustrações pessoais, não auxiliando esse jovem a se desenvolver profissionalmente”, afirma Juliana.

Outro ponto bastante frisado pela educadora é a importância de sempre almejar algo, seja no âmbito pessoal ou profissional. “Com o tempo, as pessoas pararam de sonhar, e para escolher o que você quer ser, é preciso ter um sonho. Se não tivermos anseios, metas, nenhuma profissão vai nos movimentar a ir além, por isso as dúvidas nunca se acabam”, reflete.

Você gosta do que faz ou faz o que gosta?

Também é comum, de acordo com Juliana, encontrarmos profissionais que, após anos em uma carreira estabelecida ou não, decidem se aventurar em outras áreas e mudar completamente suas vidas profissionais. Isso acontece, em sua opinião, devido ao amadurecimento pessoal de cada um, e com as experiências que vamos adquirindo conforme os anos. Por isso, ela ressalta. “Os adolescentes não devem se sentir pressionados a fazer escolhas definitivas neste momento. Devem sim pesquisar, esclarecer dúvidas, amadurecer ideias. Escolher um curso por pressão ou por falta de opção acarreta consequências nas quais eles não podem estar preparados no momento, como estudar assuntos em que não se tem nenhuma afinidade, e isso é muito ruim”.

Ao encerrar a palestra, a orientadora educacional aconselha os alunos a valorizarem o que é importante em suas vidas, e a sempre acreditarem em seu potencial. “Busquem fazer o que gostam e amem o que façam; dessa forma, a realização profissional e pessoal são efetivas”.

Cursos

Venha
nos visitar

Desde 1863, nossa filosofia preserva e respeita a história de nossos antepassados, incorporando inovação e modernidade, com o objetivo de formar cidadãos críticos e conscientes de suas responsabilidades

Últimas

Notícias

OBA 2022: confira a lista de medalhistas

Mais uma vez, os alunos do Colégio Rio Branco Campinas apresentaram excelente desempenho na Olimpíada Brasileira de Astronomia e Astronáutica (OBA). Além dos certificados de participação, 25 dos nossos…

LEIA MAIS